Maio 2019
  GMT -03:00
 






Notícia


13º salário da Unesp dá a tônica da primeira sessão ordinária do ano
5/2/2019 11:38 - Assessoria de Imprensa

Auditório, galerias e outras dependências da Casa completamente lotadas na primeira sessão ordinária de 2019 na Câmara Municipal de Botucatu, na noite de segunda-feira, 04/02. Muita gente veio prestigiar a posse da nova Mesa Diretora, mas a maior parte do público era formada por servidores autárquicos da Unesp em luta pelo pagamento do 13º salário.

O tema já vinha sendo discutido há dias no Legislativo e deu o tom da noite de ontem. Logo às 19h00, representantes do Movimento foram recebidos no Gabinete da Presidência para uma reunião, que contou com a presença do prefeito Mário Pardini, o deputado estadual Fernando Cury, os membros da Mesa, vereadores Carreira, Cula, Jamila e Alessandra Lucchesi, e o vereador Zé Fernandes. O vereador Paulo Renato e o ex-vereador Lelo Pagani acompanharam parte da reunião. Eles ouviram as considerações dos representantes do movimento: Alberto de Souza [Coordenador Político do Sintunesp], Rosana Bicudo [Coordenadora Sintunesp Botucatu], Claudia Camargo e Djalma Bovolenta [Presidente e Tesoureiro da ASU] e Marilisa Saab e Maria Emília Pereira [Aposentadas]. Depois de serem atualizados sobre a situação, o presidente Carreira, o deputado e o prefeito voltaram a reiterar apoio irrestrito à luta.

A sessão começou às 20h com a execução do Hino Nacional e a Canção do Município e o rito solene da posse da nova Mesa. Após as palavras do presidente teve início o Pequeno Expediente, com a leitura de correspondências recebidas, projetos que deram entrada, votos de pesar, requerimentos e moções. A de número 001/2019, assinada por todos os vereadores, era a mais esperada: Moção de Repúdio à “omissão perpetrada pelo Magnífico Reitor da Unesp, Professor Doutor Sandro Roberto Valentini, que deixou de cumprir as normas constitucionais e legais, bem como a regra estatutária de sua competência, ao deixar de providenciar o pagamento do décimo terceiro dos servidores da Universidade”.

Enquanto o texto embasado na legislação federal e no estatuto da Unesp era lido na íntegra os servidores levantavam cartazes e faixas com palavras de ordem e a exigência do pagamento. Depois a sessão foi suspensa por 30 minutos para o pronunciamento do deputado e prefeito. Com falas contundentes em defesa do direito dos trabalhadores e sem economizar palavras ambos assumiram compromisso público de apoiar a luta e demonstraram grande indignação ao tecer críticas à gestão da Universidade. Tônica, inclusive, repetida nas falas de todos os vereadores que passaram pela Tribuna no Grande Expediente [Rose Ielo, Paulo Renato, Sargento Laudo, Zé Fernandes e Jamila].

“Foi ótimo, estamos muito felizes e com uma grande expectativa”, avalia Rosana Bicudo. O ato de ontem deve fortalecer ainda mais o Movimento, as entidades e a luta da categoria.

O deputado Fernando Cury anunciou que vai propor uma Frente Parlamentar em defesa da Unesp na Assembleia. “Não podemos pensar apenas no não pagamento do 13º, porque senão no final do ano estaremos novamente na mesma situação. Temos que abrir a caixa preta da Unesp, saber como e onde estão sendo gastos os recursos e, então, repactuar com gestores, autoridades, entidades, comunidade universitária e a sociedade como um todo o que se espera e deseja da universidade”, disse.

Já o prefeito Pardini declarou que apoia uma auditoria na universidade e enfatizou: “Botucatu está junto nesta luta com vocês. Desejo força para que perseverem na batalha pelos seus direitos. E contem conosco”.

“De nossa parte foi muito bom ver todas essas pessoas mobilizadas em torno de uma causa legítima e poder ajudar, tanto com a manifestação unânime do repúdio, como sendo o espaço de acolhimento e fomento para esse debate que é tão importante para nossa cidade e para toda a sociedade”, comentou o presidente Carreira. 

A Moção de Repúdio aprovada será encaminhada também ao presidente da Assembleia Legislativa e ao governador do estado para conhecimento.