Abril 2018
  GMT -03:00
 






Notícia


Emoção foi a tônica da noite em que prédio da Câmara ganhou acessibilidade
10/4/2018 10:09 - Assessoria de Imprensa

“É uma vitória. Um grande avanço. É liberdade!”.  Assim o cadeirante Ailton Rodrigues de Souza resumiu o sentimento ao entrar, pela primeira vez, no prédio da Câmara Municipal de Botucatu pela porta da frente e sem ajuda, logo após a inauguração da plataforma que garantiu acessibilidade ao prédio histórico que abriga a Casa de Leis.

A solenidade reuniu muita gente e foi marcada pela emoção, tanto da parte de quem estava recebendo o equipamento como daqueles que lutaram para viabilizar o projeto. O presidente Izaias Colino [PSDB] registrou em poucas palavras a sensação de dever cumprido: “Toda construção de um equipamento público envolve polêmica e aqui não foi diferente. Mas eu tinha convicção do que estava propondo. Nunca me conformei em ver as pessoas tendo que entrar pela garagem da Câmara. Agradeço a todos que colaboraram para viabilizar esse projeto, foi um trabalho coletivo que hoje se torna realidade. Não foi fácil, mas aí está e estou emocionado em ver a resposta da população. Muito obrigado”.

Entrar pela porta dos fundos realmente era “desconfortável”, concorda Ailton. Ele conta que há mais de três anos frequenta a Câmara e sempre precisava de ajuda de um funcionário.  “Agora posso ir e vir sozinho, isso é tudo. Quem criticou essa obra não sabe o que ela representa. Não importa o custo, não importa o transtorno, importa que hoje avançamos em dignidade e estamos conseguindo nos fazer ouvir”, completou.

A fala do cadeirante é ratificada pela de outra entrevistada, que viveu ontem uma situação peculiar. Integrante do Coral Vozes da Cuesta, Simone Pafetti foi à Câmara para a apresentação que fariam na sessão comemorativa ao aniversário da cidade. Temporariamente usando muletas, porque está com uma lesão na perna, conta que levou “um susto” ao chegar. “Eu não lembrei da escada e quando cheguei aqui e me deparei com ela, pensei: não vou enfrentar, vou embora sem participar do evento. É muito difícil para quem não tem uma deficiência imaginar o que essa obra representa para a vida de muitos. Mas não podemos esquecer: todos podemos precisar de um equipamento deste a qualquer momento. Eu aqui sou a prova disso”, reflete, concluindo que ficou muito feliz por participado com Ailton da primeira “viagem” da plataforma.  

A reforma para receber o “elevador” começou em 21 de dezembro e seguiu todos os trâmites burocráticos e legais. Foram duas etapas que resultaram num investimento da ordem de R$ 117.669,87:  ajustes na estrutura de alvenaria do prédio [R$ 64.605,68 + 21.364,19] e montagem e instalação da plataforma elevatória [R$ 31.700,00].

Mesmo durante a reforma, a Câmara continuou funcionando normalmente.  “Temos que agradecer o esforço daqueles que tiveram envolvimento direto na contratação e acompanhamento dos serviços, daqueles funcionários que se dispuseram a trabalhar de forma adaptada e também a boa vontade dos munícipes e vereadores, que relevaram o transtorno durante as obras. Agora acabou. E valeu a pena!”, enfatiza a diretora administrativa Silmara Ferrari de Barros.

Outros portadores de necessidades especiais que utilizaram a plataforma para chegar ao auditório aprovaram o equipamento.