Junho 2019
  GMT -03:00
 






Notícia


Vereadora cobra grupo de estudo para implantação da Reforma Administrativa no município
11/6/2019 19:16 - Assessoria de Imprensa
As questões envolvendo a implantação da reforma administrativa no município sempre geram grande expectativa por parte do funcionalismo público e em busca de uma evolução no tema, a vereadora Alessandra Lucchesi [PSDB] solicitou a criação de um grupo de estudos para debater e analisar os direitos e deveres dos servidores na mesma. O pedido foi aprovado pelos demais legisladores.

O pedido foi encaminhado ao secretário municipal de Governo, Fábio Leite, pedindo para que o mesmo determine a nomeação de um Grupo de Estudo sobre a implantação da Reforma Administrativa [Leis Complementares Nº 911 e Nº 912/2011] para análise dos direitos, deveres e enquadramentos dos servidores municipais, com representantes de servidores  para, se necessário, elaborar leis complementares que acolham ou melhorem este reconhecido documento que legaliza a vida funcional do servidor público municipal.

De acordo com o documento, a prefeitura municipal bravamente elaborou uma Reforma Administrativa que passou a vigorar em 2012 para todos os servidores municipais, após muito estudo. A grandiosidade e diversidade desta ação foi aplaudida e igualmente questionada pelos servidores à época e após seis anos de implantação e pela maturidade na análise de todos os direitos, deveres e possíveis lacunas administrativas faz-se necessária, neste momento em que a prefeitura consta com um grupo experiente de servidores no Departamento de Recursos Humanos e que acompanharam e vivenciaram a reforma diariamente, que se elabore um Grupo de Estudo para releitura deste documento, visto que os possíveis equívocos já teriam sido pontuados pelos servidores.

A vereadora aponta inclusive em sua solicitação, um ponto que merece destaque. “Um item importante nesta consideração pontua-se na consolidação dos direitos, após cinco anos de reforma, e na quantidade de servidores que conquistaram sua aposentadoria nestes dois últimos anos. Dentro da importância da matéria que envolverá os servidores municipais”, justifica Alessandra Lucchesi.