Agosto 2019
  GMT -03:00
 






Notícia


Vereador pede fiscalização em pontos comerciais com recuo irregular e troca de abrigos de ônibus
11/7/2019 17:12 - Assessoria de Imprensa
Sempre atento às demandas que surgem na cidade, principalmente com relação a possíveis irregularidades, o vereador Abelardo [MDB] mais uma vez utilizou seu espaço durante a última sessão ordinária realizada na Câmara Municipal de Botucatu para tratar do recuo irregular em frente a estabelecimentos comerciais cobrando fiscalização, bem como a substituição de abrigos de ônibus da cidade. Os pedidos foram aprovados pelos demais legisladores.

De acordo com o vereador, diversos proprietários do município possuem vagas de recuo em frente aos seus estabelecimentos comerciais, muitas vezes ocupando toda a extensão na frente desses locais. “Considerando que os tamanhos das vagas de recuo, na maioria dos casos, não respeitam a metragem de 2,50 x 4,80 metros determinada pela legislação, deixando os carros ocupando parcialmente a calçada e prejudicando a circulação dos pedestres e ainda mais das pessoas com deficiência, se faz necessária uma ação”, comenta o vereador.

A alternativa proposta por Abelardo foi encaminhada por meio de requerimento ao prefeito municipal, Mário Pardini, pedindo para que o mesmo, juntamente com a secretaria competente, realize estudos visando verificar os estabelecimentos que possuem guias rebaixadas em vagas de recuo, as quais não respeitam a metragem e que nestes casos, a guia seja erguida de forma que os veículos não obstruam a calçada e prejudiquem a circulação dos pedestres.

Na segunda demanda, Abelardo cita que foram instalados abrigos nas paradas de ponto de ônibus em diversos locais da cidade, mas que as dimensões desses abrigos não têm cumprido sua função de proteger os usuários do transporte coletivo das intempéries. “Destaco aqui a reclamação da população pela falta de proteção mínima necessária dos abrigos, e que os antigos abrigos de concreto possuíam melhor funcionalidade de proteção, por isso meu pedido pela substituição dos mesmos pelos anteriores”, justifica.