Julho 2019
  GMT -03:00
 






Notícia


Vereador cobra liberação do trânsito na principal avenida da região do Lageado
11/7/2019 17:14 - Assessoria de Imprensa
Nos últimos meses, a paisagem de quem passa pela região da Fazenda Lageado foi alterada com a interdição da Rua José Barbosa de Barros, feito que tem causado transtornos no local. Em busca de uma solução para o tema, o vereador Paulo Renato [PSC] utilizou seu espaço para cobrar agilidade na liberação da vida. O pedido foi aprovado pela unanimidade dos demais legisladores.

O documento apresentado pelo vereador foi encaminhado para o responsável pela empresa Contersolo – Construtora de Obras LTDA, que é a empresa responsável pela construção e execução das obras do novo viaduto que está sendo construído. O pedido é para que o mesmo informe a data limite para liberação do trecho final para tráfego de veículos, da Rua Dr. José Barbosa de Barros no Jardim Paraíso, bem como o motivo da demora tendo em vista todo o tempo de interdição e transtornos causados no trânsito das proximidades.

De acordo com o requerimento, já foi construído o viaduto que fará a ligação das regiões Leste e Norte do município, mas na altura do Parque Municipal, na R. Dr. José Barbosa de Barros no Jardim Paraíso, existe ainda interdições para o tráfego de veículos. As obras que estão sendo realizadas além da obstrução causada no trecho final da Rua Dr. José Barbosa de Barros, dificulta o tráfego de veículos e o acesso aos pontos comerciais e residenciais da região.

O vereador foi procurado por diversos munícipes e cobra providências. “São diversos comércios locais, residências próximas, acesso de moradores aos Conjuntos Habitacionais Araucária e Parque Bavária e também dos alunos das Faculdades de Agronomia, Engenharia Florestal, Zootecnia e Medicina Veterinária da Unesp Botucatu. Toda essa parcela da população aguarda pela liberação do local. São vários meses de interdição e o que a gente acompanha na região são comerciantes em decadência, sem entender a razão da demora na liberação do local”, justifica Paulo Renato.